quarentena-pele
O confinamento da pandemia COVID-19 é um desafio sem precedentes que faz com que todos nós nos adaptemos a uma nova realidade. Não há ninguém que não tenha feito pequenas (ou grandes) mudanças a nível pessoal, profissional, social, etc. para tentar superar essa situação da melhor maneira possível. Na TCL estamos comprometidos com a nossa resiliência: a capacidade de enfrentar desafios para emergir mais forte. Estamos dando tudo e mais para dar continuidade ao nosso projeto, criando conteúdos relevantes e, como sempre, oferecendo os produtos que sempre desejamos utilizar. :) Esperamos que estes tempos sejam suportáveis para todos e que possamos sair desta situação mais fortes do que nunca: agradecendo o bom, valorizando o essencial e redescobrindo a nossa capacidade de adaptação e de seguir em frente.

 

No post de hoje, vamos ao que nos preocupa: como a quarentena influencia a pele e como otimizar os cuidados nestes momentos particulares? 

#1: Estresse

A pele é sempre considerada suscetível a agressores externos. Porém, um agressor silencioso e constante à pele é o estresse psicológico e emocional. Vale esclarecer que o estresse é uma resposta mais do que o normal do organismo e é essencial para superar situações desafiadoras: ela coloca à nossa disposição uma energia extra para alcançá-la1-4. Porém, como tudo mais, em excesso torna-se prejudicial5.

 

Na pele, e devido a um aumento nos níveis de hormônio cortisol, o estresse causa inflamação, sensibilidade e envelhecimento prematuro. Além disso, retarda os processos de reparo e cicatrização e potencializa o aparecimento de doenças como psoríase, dermatite e acne6-14.

 

Nestes tempos de estresse exacerbado, vale lembrar algumas dicas para cuidar de seus efeitos na pele:

 

  • Meditar: a meditação tem demonstrado ajudar a melhorar várias doenças da pele que têm causas emocionais15,16. No escritório, usamos vários aplicativos como Calm, Headspace e Stop, Breathe & Think.
    Você pode ler mais sobre o assunto em nossa postagem: Meditação: afeta a pele?
Stop, breathe & think
  • Exercício: Se você gosta de se exercitar, esta é outra ótima maneira de reduzir seus níveis de estresse!17,18 Além disso, foi demonstrado que a atividade física pode ajudar a prevenir o aparecimento de sinais de envelhecimento na pele (inibindo a glicação)19.
    Você pode ler mais sobre o assunto em nossa postagem: "Esporte: Seus efeitos na pele".
  • Encontre produtos com ativos anti estresse. Na TCL, incorporamos em nosso Booster VIT-C/FE um ativo que reduz os níveis de cortisol na pele, protegendo-a dos efeitos nocivos do estresse. É um ingrediente premiado por quebrar paradigmas da cosmética tradicional.
Booster VIT-C/FE - The Chemist Look
Você pode ler tudo sobre estresse em nossa postagem: Estresse: seus efeitos na pele.

#2: Alimentação

A quarentena permite-nos prestar um pouco mais de atenção ao que comemos. Alguns foram dados a comer mais e outros ao contrário. Alguns pedem delivery diariamente e outros dedicam-se totalmente à cozinha, desenvolvendo as suas aptidões culinárias. ;) Seja qual for o caso, existem alimentos que se relacionam com a pele, para podermos levá-los em consideração.

Comida anti-envelhecimento20:

  • Antioxidantes: frutas, vegetais e nozes ricas em vitaminas C e E.
  • Anti-glicação: canela, orégano, pimenta.
Alimentos que aceleram o envelhecimento:
  • Açúcar (de todos os tipos, até frutas!)21.
  • Alimentos queimados20.
  • Bebidas de cola20.
  • Donuts20.
Alimentos antiacne22:
  • Dieta mediterrânea.
  • Peixe.
  • Frutas e verduras.
Alimentos que pioram a acne22:
  • Açúcar.
  • Laticínios (o chocolate é inocente, mas muitas vezes é culpado por seu alto teor de laticínios e açúcar!).

Você pode ler mais sobre o assunto em nossa postagem: Alimentação: afeta a pele?

#3: Sonho

Ficar em casa o dia todo pode alterar o ciclo vigília-sono, e a falta de sono afeta a pele: causa aumento de citocinas pró-inflamatórias e radicais livres, que aceleram o envelhecimento intrínseco (de causa biológica) e prejudicam a barreira funcional23. Agora temos uma desculpa para um bom sono de beleza.

# 4: Proteção solar em ambientes fechados

Protetor solar dentro de casa, sim ou não? A resposta é sim, pelo menos se você estiver perto das janelas. Isso ocorre porque os raios UVB são interrompidos pelo vidro, mas o UVA não24.

 

  • Os raios UVB são os que nos deixam vermelhos e os que mais causam o câncer de pele25.
  • Os raios UVA são responsáveis pelo fotoenvelhecimento26.

 

Assim, se você se expor ao sol que entra pela janela, você não ficará vermelho (porque os raios UVB não o atingirão), mas ficará suscetível à radiação UVA e ao fotoenvelhecimento que ela gera.

#5: Luz azul das telas

Se há algo a que estamos superexpostos (com e sem quarentena) é à luz azul emitida pelas telas dos aparelhos eletrônicos (celulares, TVs, computadores, tablets). O tempo médio de tela dos adultos (antes da quarentena) foi em torno de 8 horas por dia27.

 

A luz azul é, dentro da luz visível, aquela com a maior energia. No espectro da radiação eletromagnética, está bem próximo à radiação ultravioleta (radiação UV).
Assim, a luz azul gera efeitos na pele muito semelhantes aos dos raios UV28,29:

 

  • Causa dano oxidativo28,30
  • Aumenta o risco de manchas31
  • Ativa enzimas que degradam o colágeno e a elastina (as principais proteínas estruturais da pele)29,32

 

Não há dose de luz azul isenta de risco29,30. Portanto, nesta quarenta, há algumas dicas:
  • Se possível, limite seu tempo de tela. Procure atividades que concorram com o telefone celular e que sejam igualmente divertidas, como montar um quebra-cabeça, ler um livro ou se exercitar.
  • Nem tudo o que as telas nos oferecem é mau: nestes tempos, permitem-nos continuar a trabalhar e estar em contato próximo com quem está fisicamente longe. Para cuidar dos efeitos da luz azul na pele, pode-se incluir um hidratante ou protetor solar que clarifique o filtro anti-luz azul, e problema resolvido!
Dica: Os filtros solares que não reivindicam proteção da luz azul podem ser tão protetores quanto não. O comprimento de onda da radiação UV e da luz azul é diferente. Portanto, se o produto não foi testado especificamente para o comprimento de onda da luz azul, não há como saber se ele protege ou não. Sobre esse assunto, você tem que buscar os esclarecimentos específicos no rótulo e não dá para especular.
Você pode ler tudo sobre os efeitos da luz azul na pele no post: Luz azul das telas: afeta a pele?

# 6: Ingredientes irritantes

A quarentena nos faz lavar as mãos mais do que nunca e usar vários desinfetantes e produtos de limpeza. Na TCL sempre defendemos que um produto não é apenas o que contém, mas também o que não contém, e evitamos o álcool e as fragrâncias nas nossas fórmulas. Obviamente, o uso de álcool na pele nestes tempos é mais do que justificado e recomendado. Mas vale lembrar algumas dicas para evitar danos:

 

  • O uso de produtos de limpeza agressivos pode romper a barreira da pele e piorar as condições inflamatórias, como dermatite, rosácea e acne. Sempre que possível, escolha produtos de limpeza para pH fisiológico (4 a 6), livre de sulfatos. Idealmente, as associações não iônicas são33,34.
    Para o rosto você pode conhecer nosso limpador, que atende a essas características.
    Limpiador - The Chemist Look
  • Aplique álcool na pele apenas se necessário e de acordo com as recomendações das autoridades de saúde.
  • Evite fragrância (sintética e natural) em todos os seus produtos.
  • Reforce a barreira da pele com hidratantes completos com ingredientes restauradores ou óleos ricos em ácidos graxos biocompatíveis, que restauram a integridade da barreira da pele.
Hidratante - The Chemist Look
Leia tudo sobre os ingredientes irritantes que recomendamos evitar em nossa postagem sobre o assunto: 3 ingredientes para evitar em seus cosméticos.

 


Esperamos que tenha sido útil e mandamos um abraço (digital) de toda a equipe! Permanecemos disponíveis para qualquer consulta.

 

The Chemist Look Team

 

  1. Slominski, Andrzej T. et al. “Key Role of CRF in the Skin Stress Response System” Endocrine Reviews 34.6 (2013): 827–884. PMC.
  2. Fabrice Duval M.D, Félix González M.D. y Hassen Rabia. Neurobiología del estrés. Rev Chil Neuro-Psiquiat 2010; 48 (4): 307-318.
  3. A. Alexopoulos and G. P. Chrousos, “Stress-related skin disorders,” 2016.
  4. Weitzman E.D. et al.Twenty-four hour pattern of the episodic secretion of cortisol in normal subjects. J Clin Endocrinol Metab. 1971 Jul; 33(1):14-22.
  5. The American Institute of Stress. Stress effects.
  6. A. Garg et al., “Psychological stress perturbs epidermal permeability barrier homeostasis: implications for the pathogenesis of stress-associated skin disorders.,” Arch. Dermatol., vol. 137, no. 1, pp. 53–59, Jan. 2001.
  7. Slominski, Andrzej T. et al. “Key Role of CRF in the Skin Stress Response System” Endocrine Reviews 34.6 (2013): 827–884. PMC.
  8. A. Alexopoulos and G. P. Chrousos, “Stress-related skin disorders,” 2016.
  9. Muizzuddin N, Matsui M S, Marenus K D, Maes D H. Impact of stress of marital dissolution on skin barrier recovery: tape stripping and measurement of trans-epidermal water loss (TEWL). Skin Res. Technol. 2003;9 (1):34–38.
  10. Altemus M, Rao B, Dhabhar F S, Ding W, Granstein R D. Stress-induced changes in skin barrier function in healthy women. J. Invest. Dermatol. 2001;117 (2):309–317.
  11. Kiecolt-Glaser J.K. et al. Slowing of wound healing by psychological stress. Lancet 1995; 346: 1194-6.
  12. De Brouwer SJM, van Middendorp H, Stormink C, Kraaimaat FW, Sweep FCGJ, de Jong EMGJ, et al. The psychophysiological stress response in psoriasis and rheumatoid arthritis. Br J Dermatol. 2014;170:824–31.
  13. Megumi M, Masaki Y, Chieko U, Teruhiko M, Tadamichi S. Stress Evaluation in Adult Patients with Atopic Dermatitis Using Salivary Cortisol. 2013.
  14. Chen Y, Lyga J. Brain-Skin Connection : Stress , Inflammation and Skin Aging. 2014;177–90.
  15. Griesemer RD. Emotionally triggered disease in a dermatological practice. Psychiatr Ann. 1978;8:49–56.
  16. Shenefelt PD. Psychological interventions in the management of common skin conditions. Psychol Res Behav Manag. 2010;3:51-63.
  17. Choi JY, Chang AK, Choi EJ. Effects of a Physical Activity and Sedentary Behavior Program on Activity Levels, Stress, Body Size, and Sleep in Sedentary Korean College Students. Holist Nurs Pract. 2018;32(6):287–295.
  18. Beserra AHN, Kameda P, Deslandes AC, Schuch FB, Laks J, Moraes HS. Can physical exercise modulate cortisol level in subjects with depression? A systematic review and meta-analysis. Trends Psychiatry Psychother. 2018;40(4):360–368.
  19. Couppé, C., Dall, C. H., Svensson, R. B., Olsen, R. H., Karlsen, A., Praet, S., Magnusson, S. P. (2017). Skin autofluorescence is associated with arterial stiffness and insulin level in endurance runners and healthy controls - Effects of aging and endurance exercise. Experimental Gerontology, 91, 9–14.
  20. Aging skin: The role of diet: Facts and controversies. Clinics in Dermatology. 2013 (31): 701-706.
  21. Snelson M, Coughlan MT. Dietary Advanced Glycation End Products: Digestion, Metabolism and Modulation of Gut Microbial Ecology. Nutrients. 2019 Jan 22;11(2).
  22. JP Claudel, N Auffret, MT Leccia, F Poli, B Dréno. Acne and nutrition: hypotheses, muths and facts. J Eur Acad Dermatol Venereol. 2018.
  23. P. Oyetakin-White et al., “Does poor sleep quality affect skin ageing?,” Clin. Exp. Dermatol., vol. 40, no. 1, pp. 17–22, 2015.
  24. Skin Cancer Foundation. Julie Bain. A Surprising Danger in Planes, Trains and Automobiles.
  25. Yasuhiro Matsumura and Honnavara N. Ananthaswamy. Toxic effects of ultraviolet radiation on the skin. Toxicol Appl Pharmacol. 2004 Mar 15;195(3):298-308.
  26. Palm MD, O'Donoghue MN. Update on photoprotection. Dermatol Ther. 2007 Sep-Oct;20(5):360-76.
  27. The New York Times. 8 Hours a Day Spent on Screens, Study Finds.
  28. Nakashima Y, Ohta S, Wolf AM. Blue light-induced oxidative stress in live skin. Free Radic Biol Med. 2017 Jul;108:300-310.
  29. Liebel F, Kaur S, Ruvolo E, Kollias N, Southall MD. Irradiation of skin with visible light induces reactive oxygen species and matrix-degrading enzymes. J Invest Dermatol. 2012 Jul;132(7):1901-7.
  30. Arjmandi N, Mortazavi GH, Zarei S, Faraz M, Mortazavi SAR. Can light emitted from smartphone screens and taking selfies cause premature aging and wrinkles? J Biomed Phys Eng 2018; 8(4).
  31. Manpreet Randhawa, InSeok Seo, Frank Liebel, Michael D. Southall, Nikiforos Kollias, Eduardo Ruvolo. Visible Light Induces Melanogenesis in Human Skin through a Photoadaptive Response. PLoS One. 2015; 10(6): e0130949.
  32. Parrado C, Mercado-Saenz S, Perez-Davo A, Gilaberte Y, Gonzalez S, Juarranz A. Environmental Stressors on Skin Aging. Mechanistic Insights. Front Pharmacol. 2019 Jul 9;10:759.
  33. Draelos ZD. The science behind skin care: Cleansers. J Cosmet Dermatol. 2018;17(1):8–14.
  34. Ali SM, Yosipovitch G. Skin pH: from basic science to basic skin care. Acta Derm Venereol. 2013 May;93(3):261-7.
Cuidados diários / rotina diária básica

Deixe um comentário

Todos os comentários são moderados antes de serem publicados.