meditação-pele
Embora a origem da meditação remonte à cultura oriental, ela está cada vez mais tendo lugar no mundo ocidental e até na medicina tradicional. Um dos principais promotores da meditação no Ocidente (e a quem se deve em parte o fato de essa prática estar cada vez mais difundida) é Jon Kabat-Zinn, médico e fundador do Center for Mindfulness da Universidade de Massachusetts. Com a intenção de ajudar pacientes crônicos que não respondiam aos tratamentos convencionais, ele criou um programa de meditação de 8 semanas (Mindfulness-Based Stress Reduction)1,2 que hoje é praticado em todo o mundo e que reduz o estresse, depressão, Síndrome de Burnout, e ansiedade3, e melhora a dor crônica4.

 

Considerando a relação conhecida entre estresse e peleno The Chemist Look, estávamos convencidos de que a meditação deveria melhorar diretamente a saúde e a aparência da pele. Por isso, quisemos investigar o assunto, pensando a priori que não haveria muitas informações científicas sobre ele. No entanto, ficamos surpresos, existem muitos papers que estudam os efeitos da meditação na pele e confirmam seus benefícios.

 

A evidência é clara: muitas doenças de pele têm uma causa emocional5 e elas podem se beneficiar da meditação não apenas para melhorar os sintomas, mas também para melhorar as emoções que às vezes desencadeiam uma condição de pele (estresse, ansiedade, etc.)6. No post de hoje, tudo para #SkintellectualsTCL sobre meditação, como funciona e quais os benefícios para a pele.

O que é meditação e como ela funciona no nível do cérebro?

É uma prática que visa mudar o foco de atenção e atingir um estado natural de transe7 (ou seja, atingindo ondas cerebrais de baixa frequência).

 

Dependendo de nosso estado de relaxamento ou alerta, a frequência de nossas ondas cerebrais varia. Assim, vários tipos são descritos7:

 

  • Ondas gama: 18-38 Hz. Elas aparecem com medo e ansiedade.
  • Ondas beta: 12-18 Hz. Eles aparecem quando estamos em alerta.
  • Ondas alfa: 8-12 Hz. Eles aparecem quando estamos relaxados, durante alguns tipos de meditação ou hipnose.
  • Ondas Theta: 4-8 Hz. Elas aparecem durante o sono REM, durante alguns tipos de meditação ou na hipnose.
  • Ondas Delta: 0,5-4 Hz. Eles aparecem em sono profundo (não-REM).

 

O transe é alcançado quando nossas ondas cerebrais descem para alfa ou theta em um estado de vigília. Esse estado pode ser alcançado naturalmente quando estamos relaxados, assistindo a um filme, lendo um livro ou imersos em um pensamento7. É promovido por uma ativação do sistema nervoso parassimpático e ativa os processos de reparo e cicatrização8. Um fato interessante é que podem ser alcançadas as ondas alfa ou theta também por meio de exercícios físicos intensos, após dançar com energia ou por causa de fortes emoções7.

 

Além disso, a meditação permite que você atinja o estado de transe intencionalmente. Existem vários tipos, que podem ser agrupados em 6 categorias9:

 

  • Meditação com atenção concentrada: Cultive a concentração e a atenção em um único objeto, facilitando a percepção das sensações internas e aumentando a capacidade de focar em cada experiência.
    Exemplos desse tipo de meditação são o Zazen (ou Zen) e a centrado na respiração9.
  • Meditação com atenção aberta: Pratique a atenção plena sem um único foco para guiar sua meditação. Um exemplo é a meditação do tipo Vipassana9, que é o mais semelhante ao tipo Mindfulness praticado no Ocidente10.
  • Meditação com mantra: Baseia-se na repetição de um mantra, verbal ou mentalmente, como guia para a meditação9.
  • Meditação transcendental: Começa com a repetição de um mantra, mas busca atingir um estado em que a mente se acalma e a consciência da presença de si aumenta9.
  • Meditação não dual: Busca dissolver o sentimento de separação entre quem medita e seu ambiente, promovendo uma noção de unidade9.
  • Meditação de amor bondoso e compaixão (loving kindness meditation ou LKM): Busca cultivar nosso desejo inato pelo bem-estar do outro, tornando nossos pensamentos e sentimentos mais compassivos9.

 

Esse tipo de prática vem ganhando cada vez mais espaço na medicina tradicional, pois seus benefícios incluem uma melhor tolerância à dor crônica3 e uma redução do estresse, Síndrome de Burnout, ansiedade e depressão2.

Como o sistema nervoso e a pele estão ligados?

O sistema nervoso e a pele se desenvolvem muito intimamente no embrião: eles são criados a partir de uma camada comum, chamada ectoderme. Após o nascimento, permanecem conectados ao longo da vida e em comunicação constante por meio de mecanismos psico-neuro-imuno-endocrinológicos6,8.

 

Alguns fatos interessantes:
  • O estresse psicológico e emocional enfraquece a barreira da pele, torna-a mais sensível a danos e retarda a cicatrização. Além disso, é causa de envelhecimento prematuro e aumenta o aparecimento de condições inflamatórias, como psoríase, dermatite atópica e acne8,11,12,13,14,15,16.
    Isso pode causar um ciclo vicioso, uma vez que esses tipos de doenças da pele aumentam o risco de sofrer de estresse, depressão e ansiedade17. Ou seja, a pele afeta o emocional e o emocional na pele8.
  • Quanto à dermatite atópica, um estudo mostrou em 2013 que sua gravidade está correlacionada com os níveis de cortisol (o hormônio do estresse): quanto maior o cortisol, mais grave é a dermatite18.
  • De acordo com a psoríase, um estudo mostrou que quando um setor afetado é desnervado (o nervo que o estimula é removido), os sintomas melhoram8.

Meditação: pode beneficiar a pele?

Sim, definitivamente. O que a ciência diz:
  • As ondas alpha ou theta alcançadas com a meditação promovem reparo e cura6, e seus benefícios podem ser aplicados em dermatologia18.
  • Já em 1998, um estudo demonstrou em pacientes com psoríase que a evolução foi melhor em um grupo que recebeu fototerapia mais meditação, em comparação com um grupo que recebeu apenas fototerapia19.
  • Um dermatologista e psiquiatra criou um índice chamado Griesemer que descreve até que ponto as doenças da pele são desencadeadas por uma causa emocional. De acordo com este índice, rosácea é em 94% dos casos, a dermatite atópica em 70% e acne em 55% dos casos. Quanto maior o percentual afetado por causas emocionais, maior a chance de sucesso das técnicas de relaxamento6.
  • O ciclo vicioso entre mente e pele é muito descrito: como o estresse potencializa algumas doenças da pele (psoríase, dermatite, acne) e como essas condições aumentam a aparência de estresse, depressão e ansiedade. Por esse motivo, as técnicas de meditação e relaxamento apresentam-se como uma opção terapêutica muito favorável, pois melhoram ambos os componentes ao mesmo tempo5.
  • Não é apenas a meditação que tem evidências científicas de apoio. Outras técnicas que ajudam a controlar estresse também mostraram beneficiar algumas doenças de pele, como biofeedback, terapia cognitivo-comportamental e hipnose5.

Algumas dicas práticas:

  • Meditar. Existem muitas evidências a favor desse hábito que pode melhorar muitos aspectos de nossa saúde. Os benefícios são comprovados com uma frequência de uma vez por semana!20
  • Para os momentos em que o estresse é inevitável, certifique-se de escolher um cosmético que contenha um ativo anti-stress. Assim, sua pele ficará coberta. Nosso Booster VIT-C/FE contém um ingrediente ativo que reduz os níveis locais de cortisol (o hormônio de estresse), protegendo a pele de seus efeitos deletérios. É um ingrediente premiado por se propor a modular o eixo neuroendócrino da pele, o que implicou em uma mudança de paradigma na cosmética.
Booster VIT-C/FE - The Chemist Look
Esperamos que tenha sido útil!Para qualquer dúvida, estamos à disposição!
The Chemist Look Team

 

  1. Umass Medical School. Center for Mindfulness in Medicine, Health Care, and Society. Jon Kabat-Zinn.
  2. Brandmeyer T, Delorme A, Wahbeh H. The neuroscience of meditation: classification, phenomenology, correlates, and mechanisms. Prog Brain Res. 2019;244:1-29.
  3. Ghawadra SF, Abdullah KL, Choo WY, Phang CK. Mindfulness-based stress reduction for psychological distress among nurses: A systematic review. J Clin Nurs. 2019 Jul 3.
  4. Kabat-Zinn J, Lipworth L, Burney R. The clinical use of mindfulness meditation for the self-regulation of chronic pain. J Behav Med. 1985 Jun;8(2):163-90.
  5. Griesemer RD. Emotionally triggered disease in a dermatological practice. Psychiatr Ann. 1978;8:49–56.
  6. Shenefelt PD. Psychological interventions in the management of common skin conditions. Psychol Res Behav Manag. 2010;3:51-63.
  7. Shenefelt PD. Use of Hypnosis, Meditation, and Biofeedback in Dermatology. Clin Dermatol. 2017 May - Jun;35(3):285-291.
  8. Shenefelt PD. Mindfulness-Based Cognitive Hypnotherapy and Skin Disorders. American Journal of Clinical Hypnosis. 2018;61(1):34-44.
  9. Brandmeyer T, Delorme A, Wahbeh H. The neuroscience of meditation: classification, phenomenology, correlates, and mechanisms. Prog Brain Res. 2019;244:1-29.
  10. L. Kirmayer. Mindfulness in cultural context. Transcult Psychiatry. 2015 Aug;52(4):447-69.
  11. Garg A, Chren MM, Sands LP, Matsui MS, Marenus KD, Feingold KR, Elias PM. Psychological stress perturbs epidermal permeability barrier homeostasis: implications for the pathogenesis of stress-associated skin disorders. Arch. Dermatol. 2001 Jan;137(1):53-9.
  12. Alexopoulos A, Chrousos GP. Stress-related skin disorders. Rev Endocr Metab Disord. 2016 Sep;17(3):295-304.
  13. Muizzuddin N, Matsui MS, Marenus KD, Maes DH. Impact of stress of marital dissolution on skin barrier recovery: tape stripping and measurement of trans-epidermal water loss (TEWL). Skin Res. Technol. 2003;9 (1):34–38
  14. Altemus M, Rao B, Dhabhar FS, Ding W, Granstein RD. Stress-induced changes in skin barrier function in healthy women. J. Invest. Dermatol. 2001;117(2):309–317.
  15. Kiecolt-Glaser JK, Marucha PT, Malarkey WB, Mercado AM, Glaser R. Slowing of wound healing by psychological stress. Lancet. 1995; 346(8984):1194-6.
  16. Chen Y, Lyga J. Brain-Skin Connection : Stress, Inflammation and Skin Aging. 2014;177–90.
  17. Qureshi A, Awosika O, Baruffi F, Rengifo-Pardo M, Ehrlich A. Psychological Therapies in Management of Psoriatic Skin Disease: A Systematic Review. Am J Clin Dermatol. 2019 Apr 2.
  18. Megumi M, Masaki Y, Chieko U, Teruhiko M, Tadamichi S. Stress Evaluation in Adult Patients with Atopic Dermatitis Using Salivary Cortisol. Biomed Res Int. 2013; 2013:138027.
  19. Kabat-Zinn J, Wheeler E, Light T, Skillings A, Scharf MJ, Cropley TG, Hosmer D, Bernhard JD. Influence of a mindfulness meditation-based stress reduction intervention on rates of skinclearing in patients with moderate to severe psoriasis undergoing phototherapy (UVB) and photochemotherapy (PUVA). Psychosom Med. 1998 Sep-Oct;60(5):625-32.
  20. Erogul M, Singer G, McIntyre T, Stefanov DG. Abridged mindfulness intervention to support wellness in first-year medical students. Teach Learn Med. 2014;26(4):350-6.
Estilo de vida

Deixe um comentário

Todos os comentários são moderados antes de serem publicados.