Guia completa sobre vitamina C

Sem sombra de dúvidas a vitamina C é uma das estrelas da dermocosmética. A sua fama e seus múltiplos benefícios gera alguma (ou muitas) dúvidas sobre o seu uso.

Pensamos neste post tanto para quem está começando a se informar agora como para os skintellectuals que vem se informando há anos.

PS: para falar a verdade um post não foi suficiente e fizemos um guia. Esperamos que aproveitem!

Índice

Quais são os benefícios da vitamina C para a pele?

Provavelmente a vitamina C seja um dos ativos com maiores benefícios para a pele. Em resumidas contas, ele é ideal para todo tipo de pele porque1:

  • Melhora a luminosidade.
  • Previne o dano oxidativo.
  • Previne e reverte os sinais de envelhecimento.
  • Minimiza manchas.
  • Uniformiza o tom da pele.
  • Combate o aspecto cansado.
  • Protege a barreira cutânea.
  • Possui propriedades anti inflamatórias.

Como é possível que um único ativo faça tudo isso?

A continuação e em detalhe, o porquê de cada um dos seus atributos para quem ama um backstage (mecanismos de ação).

A vitamina C e a Vitamina E são os principais antioxidantes da pele. Ajudam na prevenção do estresse oxidativo gerado pelas radiações UV, a poluição, o estresse, a fumaça do cigarro, uma dieta rica em açúcar, etc. Estes agressores produzem alterações nas células e na estrutura da pele ameaçando sua integridade e o seu funcionamento, o que se traduz em forma de rugas, manchas, perda da elasticidade, entre outras consequências (o tal "envelhecimento prematuro"). Os antioxidantes procuram, justamente, evitar que isso aconteça1.

Mas ainda tem mais! A vitamina C não só previne o envelhecimento mas também reverte os sinais de envelhecimento já visíveis. Com o passar dos anos, tanto o colágeno quanto os fibroblastos (as células que produzem) vão diminuindo e essa é uma das causas do envelhecimento da pele. A vitamina C ajuda a reverter esse processo graças a que aumenta a quantidade de colágeno e o número de fibroblastos da pele1.

No clareamento das manchas e do tom irregular, a vitamina C é uma grande aliada. Por inibir a formação de melanina (o pigmento da pele), o ativo contém propriedades que ajudam a clarear e uniformizar o tom da pele1. Uma boa opção é combiná-la com outro ativo que também ajuda no clareamento das manchas, porém através de outros mecanismos. Nossa escolha? A niacinamida. Depois vamos te contar se estes ativos podem ou não ser usados juntos na rotina. Spoiler alert: ¡sim!

Continuando com os benefícios da vitamina C, ela combate a aparência de cansaço do rosto deixando-o com mais viço, saudável e aquele glow característico. Está cientificamente comprovado que poucas horas de sono incidem na aparição de olheiras, palidez e linhas finas, e na aceleração dos sinais de envelhecimento2,3.

Assim que, caso você estiver estudando para dar a última prova da sua carreira na faculdade (como no meu caso), tem um neném que não dorme à noite, ou simplesmente acha que glow nunca é suficiente, a vitamina C é para você!

Uma função menos conhecida deste ativo (mas, não por isso, menos importante!), é que ela protege a barreira da pele graças a a síntese dos lípidos que a conformam. Esse é um fator chave porque uma barreira íntegra evita a desidratação da pele e age como um escudo diante dos agressores presentes no meio ambiente1.

Para ir fechando este capítulo de benefícios, lembramos que existe certa evidência de que o uso tópico da vitamina C poderia reduzir os níveis de inflamação em peles com rosácea. Porém aconselhamos tomar essa recomendação com cautela já que as peles com essa patologia não toleram o ativo e podem ficar irritadas com seu uso. Por isso, nesse caso, consideramos imprescindível a consulta com um dermatologista.

Finalmente, achamos importante esclarecer o seguinte: a vitamina C funciona como protetor dos danos produzidos pelos raios UV, não trata-se de um protetor solar. Isso quer dizer que não cumpre a função de um protetor solar1.

Qual a idade ideal para começar a usar vitamina C?

Com o passar dos anos, os níveis de vitamina C na pele diminuem e, ao mesmo tempo, as causas de estresse oxidativo aumentam. Em consequência, ocorre um desequilíbrio entre os antioxidantes e as substâncias que provocam oxidação o que pode causar envelhecimento prematuro, inflamação e um aumento do risco de câncer de pele4,5.

Apesar disso, não existe uma "idade específica" para começar a usar a Vitamina C. Não encontramos nenhum estudo científico que indicasse que fosse necessário começar a usá-la a partir de um determinado momento da vida. Porém, é totalmente real que muitos dos benefícios da vitamina C são preventivos. O que isso significa? Que quanto antes você comece a usá-la, vai estar se adiantando ao dano, evitando que ele ocorra. Como diz o refrão (e as ciências da saúde): "Más vale prevenir do que curar".

Vitamina C e a niacinamida: podem ser usadas juntas?

Sim, a vitamina C e a niacinamida podem ser usadas juntas. Tanto pela sua ação sinérgica na atenuação de manchas, quanto pelos benefícios que cada um desses ativos aporta individualmente, é lógico querer incluir ambos na sua rotina. Porém, é bem provável que você tenha escutado por aí que estes ativos não devem ser usados juntos. O certo é que não existe evidência alguma que comprove isso. Embora in vitro (em laboratório) estes ativos formem um complexo, é difícil que esse mesmo complexo se forme na pele6,7. Por outro lado, não existe evidência que demonstre que este complexo seria absorvido pela pele e também não existe evidência de que uma vez formado, ele anula os benefícios da vitamina C ou da niacinamida. É por isso que, até que a evidência demonstre o contrário, você pode usá-los juntos na sua rotina de cuidados.

A nossa recomendação é que você use um produto com vitamina C e outro com niacinamida, mas não um único produto com ambos ativos porque as condições ideais de formulação de cada um não são as mesmas.

A vitamina C: mancha a pele?

Ah, o grande debate do mundo skintellectual! E a resposta é não, a vitamina C não mancha a pele. O que pode ocorrer é que se você estiver usando uma vitamina C oxidada (logo mais contamos como perceber isso), a sua pele fique com um tom bronzeado. Isso porque quando oxidada e degradada, a vitamina C se transforma em eritrulose, que é justamente… um bronzeador artificial!8,9,10 O que devemos fazer para evitar isso?
Dois conselhos:

  1. Usar sérums de vitamina C que NÃO estejam oxidados.
  2. Acrescentar um esfoliante na sua rotina para favorecer o desprendimento das células mais superficiais da pele que são as que pegam cor. O bom é que isso não prejudica o resto das propriedades da vitamina C na pele.

Por último, para evitar que a vitamina C se acumule nos poros e estes se tornem mais visíveis, é fundamental acompanhar o uso desse ativo com uma rotina de limpeza adequada.

Como reconhecer se a minha vitamina C está oxidada?

A vitamina C pura é a forma mais eficaz de vitamina C mas também a que oxida mais rápido e, quando isso acontece, a sua cor muda. Uma vitamina C que não está oxidada possui uma cor amarelada/laranja claro; e uma vitamina C que está oxidada fica com uma cor laranja escuro/amarronzado11.

nível de oxidação - vitamina C

1-5: Produto apto para utilização. 6: O produto não deve ser utilizado, devido a um alto nível de oxidação que compromete a eficiência da substância.

Achamos importante esclarecer que algumas fórmulas à venda no mercado já são alaranjadas desde o primeiro dia por conta de corantes ou algum extrato que acrescenta essa cor. Nesses casos, não podemos perceber quando a vitamina C já oxidou e está na hora de jogar fora o produto.

Como evitar que a minha vitamina C oxide?

Como já mencionamos, a vitamina C pura é a forma mais eficaz de vitamina C mas também é a que mais rápido oxida. Quando isso acontece, suas propriedades podem se alterar, o que poderá reduzir a sua eficácia. Quais cuidados devemos ter com a vitamina C para não oxidar12?

  1. Guardar na geladeira e evitar lugares abafados ou muito quentes.
  2. Fechar muito bem o produto após o uso, evitando o máximo possível o contato com o ar.
  3. Não deixar o produto em contato com a luz.

Nós que formulamos o produto também levamos em consideração essas precauções para prolongar a sua vida útil. Por exemplo, para evitar a exposição à luz, preferimos que a embalagem do seu dermocosmético possua vidro escuro, para proteger o conteúdo.

Vitamina C pura vs. Derivados

Um sérum de vitamina C pode ter vitamina C pura ou o que se conhece como "Derivado de vitamina C".

Os derivados, são moléculas similares a vitamina C pura (também denominada "ácido ascórbico"), porém não são iguais. Para somar benefícios para a pele, os derivados devem se transformar em vitamina C e essa conversão nunca é 100 %13. Isso significa que se usamos um sérum com um derivado de vitamina C em uma concentração de 15 %, não necessariamente estaremos dando 15 % de ácido ascórbico para nossa pele.

Por outro lado, não existem evidências de que todos os derivados aportam exatamente os mesmos beneficios que a vitamina C pura. Por exemplo, não existem dados que sustentem que o 2-fosfato-6-palmitato de ascorbilo aumente a síntese de colágeno e também não é certo que o 3-o-etil ascorbato proteja contra os danos UV13.

Então, porque se usam derivados de vitamina C na dermocosmética ao invés de usar sempre vitamina C pura?
Provavelmente, porque formular um sérum com um derivado de vitamina C gera menos desafios que aqueles associados com a formulação de um sérum com vitamina C pura, que é mais eficaz porém também mais instável, quer dizer, se degrada com maior facilidade.

Como distinguir a vitamina C pura do derivado? Analisando a lista de ingredientes no rótulo do produto. Aí, a vitamina C pura tem um nome diferente a dos derivados13:

Nome da vitamina C pura:

  • ASCORBIC ACID
  • L-ASCORBIC ACID

Nome dos derivados mais comuns da vitamina C:

  • SODIUM ASCORBYL PHOSPHATE
  • MAGNESIUM ASCORBYL PHOSPHATE
  • ASCORBYL PALMITATE
  • ASCORBYL GLUCOSIDE
  • ASCORBYL TETRAISOPALMITATE
  • 3-O-ETHYL ASCORBIC ACID
  • TRISODIUM ASCORBYL PALMITATE PHOSPHATE
  • GLYCERYL ASCORBATE
  • MYRISTYL 3-GLYCERYL ASCORBATE

Dica: os nomes dos derivados são sempre bem difíceis de pronunciar. O importante é sempre se lembrar de que no INCI (sigla para INTERNATIONAL NOMENCLATURE OF COSMETIC INGREDIENTS, ou seja, Nomenclatura Internacional de Ingredientes Cosméticos) a vitamina C pura figura como "ascorbic acid" ou "L-ascorbic acid"; qualquer outro nome faz referência a um derivado.

É útil tomar vitamina C?

Cada vez que consumimos vitamina C através de bebidas ou alimentos ricos nessa vitamina*, damos uma boa dose de antioxidante para o nosso corpo mas não necessariamente para a nossa pele. Isso acontece porque somente uma mínima quantidade da vitamina irá parar especificamente na pele; o resto, vai ser distribuída em outros lugares do nosso corpo e, inclusive, outra parte será eliminada. Por outro lado, mesmo aumentando o consumo de vitamina C, o nosso corpo tem uma capacidade limitada de absorvê-lo. Uma vez que chegamos nesse limite o resto é eliminado1,5.

*Alimentos ricos em vitamina C: pimentões, tomates, kiwis, limões, laranjas, goiabas, etc.

Então, se o que você está procurando é acrescentar antioxidantes na sua pele, o melhor é sempre aplicá-la de maneira tópica.

Curiosidade: Você sabia que o nome ácido ascórbico vem do latim "scorbutus"? E escorbuto é uma doença produzida pela carência de vitamina C no organismo. Historicamente, eram os marinheiros que adoeciam quando em longas viagens passavam muito tempo sem comer frutas e verduras. Em 1700, o cirurgião escosês, James Lind, descobriu que a patologia podía ser tratada através do consumo de cítricos como limoēs14.

Concentração de vitamina C, pH e outros dados químicos

A capacidade de absorção da vitamina C na pele não é infinita. Da mesma forma que ocorre com a ingestão de alimentos e bebidas ricas em vitamina C, colocar na pele mais vitamina não necessariamente levará mais vitamina para esse lugar já que a pele tem uma capacidade limitada de absorvê-la.

Uma investigação científica feita com suínos, demonstrou que os níveis de vitamina C da pele são maiores quanto maior for a concentração de vitamina C aplicada. Porém, isso deixa de ocorrer quando as concentrações da vitamina superam 20 %. Por outro lado, está demonstrado que concentrações próximas ou que superem 20 % podem causar irritação na pele humana15. Por isso, na The Chemist Look formulamos nosso booster de vitamina C a 15 %: uma concentração eficaz e biocompatível.

Outro fator importante do sérum de vitamina C é o seu pH. O mesmo estudo que mencionamos no parágrafo anterior, demonstrou que a absorção da vitamina C é maior quanto menor o pH do produto15. Porém, não podemos concluir desta investigação qual o pH perfeito para formular o sérum de vitamina C porque a pesquisa foi feita em porcos e não em humanos, e a conclusão pode não ser exatamente extrapolável.

Por outro lado, a capacidade da pele de absorver qualquer ativo, não depende só da concentração desse ativo nem só do seu pH, mas dos outros ingredientes que integram a fórmula. Desse jeito os polióis (propanodiol, propilenoglicol, etc.), o etanol, os tensoativos, entre outros ingredientes, tendem a aumentar a absorção da maioria dos ativos, assim como existem outros ingredientes ou tipos de formulações, que tendem a diminuir essa capacidade de absorção15.

Na The Chemist Look decidimos formular nosso booster de vitamina C com um pH de 3,5 e com um blend de ingredientes que garantem uma ótima absorção.

Posso usar vitamina C no verão?

Nos fizeram essa pergunta tantas vezes que já perdemos a conta... E a resposta é sim, podemos usar vitamina C no verão!

Talvez algumas pessoas pensem que não se deve usar vitamina C no verão porque existe certa confusão entre os termos "fotossensível" e “fotossensibilizador”. E qual seria essa diferença?

Os ativos fotossensibilizadores são os que deixam a pele mais sensível à luz solar. Um clássico exemplo é o retinol, que não deve ser usado no verão, exatamente, por esse motivo1.

Porém, os ativos fotossensíveis (como no caso, a vitamina C) não deixam a pele mais sensível ao sol e, por isso, não existe razão alguma para interromper o seu uso no verão. São denominados "fotossensíveis" porque são sensíveis à luz, ou seja, se degradam quando em ambientes luminosos. Mas,não por isso, deixam a pele mais exposta aos raios solares (não são fotossensibilizadores). De fato, foi demonstrado que a vitamina C não só previne o dano produzido pelos raios UVB e UVA, mas também reduz a vermelhidão e as queimaduras na pele provocadas pelo sol16.

A única coisa que pode ocorrer no verão é que a vitamina C oxide mais rápido porque faz mais calor e, como mencionamos com anterioridade, esse ativo se degrada com o calor, a luz e o ar. A boa notícia é que dentro da geladeira faz frio o ano todo, está escuro, e se a sua vitamina C estiver tampada: o ar também não vai entrar.

É melhor usar a vitamina C de manhã ou à noite?

A vitamina C pode ser usada quando você quiser! Se o que mais te interessa é aquele glow que vem de dentro e a luminosidade, recomendamos seu uso pela manhã. Mas se o seu foco é mais na prevenção ou no efeito antiage, talvez seja melhor usá-la à noite.

De todas formas, não precisa escolher! Você pode usá-la tranquilamente duas vezes ao dia quando quiser.

Dicas para escolher um sérum de vitamina C

Levando em consideração todas as razões que já mencionamos, as dicas mais importantes seriam as seguintes:

  1. Escolha um sérum de vitamina C pura: essa é a forma mais eficaz de vitamina C.
  2. Procure um sérum que contenha uma quantidade ótima de vitamina C: Qual seria essa quantidade? Aproximadamente, 15 %. Menos de 15 % pode não ser tão eficaz; e mais de 15 % pode provocar irritação na pele.
  3. Prefira um produto que tenha um pH próximo a 3.5: menos de 3.5 pode ser irritante para a pele, e com mais de 3.5 a sua absorção será menor.

Nosso sérum antioxidante com vitamina C

O Booster VIT-C/FE, nosso sérum com vitamina C, é um concentrado de vitamina C pura a 15 %, formulado com um pH de 3,5 e combinado com três ativos que aumentam o seu poder antioxidante (vitamina E, ácido ferúlico, glutationa) e um Ativo Anti Stress que protege a pele dos efeitos nocivos do estresse.

O Booster dá luminosidade, clareia manchas, uniformiza o tom da pele, previne o estresse oxidativo e retarda os sinais de fotoenvelhecimento.

Ingredientes:

  • Ácido ascórbico: é a forma pura de vitamina C. Possui alto poder antioxidante, ilumina e atenua manchas. Ajuda na prevenção do dano solar e no fotoenvelhecimento. Formulado com uma concentração de 15 % ácido ascórbico, garante máxima eficácia e biocompatibilidade.
  • Vitamina E: Alfa-tocoferol a 1%. Grande poder antioxidante. Nessa concentração, aumenta o poder da Vitamina C multiplicando por 4 a fotoproteção da pele.
  • Ácido ferúlico: potente antioxidante que estabiliza as vitaminas C e E, duplicando a sua eficácia. Essa sinergia multiplica por 8 a fotoproteção natural da pele e é mais eficaz que cada um dos ativos por separado.
  • Glutationa: É um peptídeo antioxidante. Junto com as vitaminas C e E, forma uma combinação de antioxidantes regenerados, melhorando a estabilidade da fórmula e prolongando sua eficácia. Além disso, acrescenta poder antioxidante.
  • Extrato botânico anti estresse: ativo vegetal eco-certificado orgânico. Protege a pele dos efeitos deletérios do estresse graças a diminuição dos níveis locais do cortisol (hormônio responsável pelo estresse). Ajuda a combater o aspecto cansado e evita o envelhecimento prematuro, graças ao aumento dos recursos antioxidantes e da função detox da pele.

Quem deveria usá-lo?

O Booster VIT-C/FE serve para todos os tipos de pele e de todas as idades. É ideal para aquelas pessoas que estejam começando a cuidar da pele e procurem prevenir o dano causado pelos raios UV, a poluição e o estresse. Além do mais, melhora manchas e ilumina: é um dos preferidos por aquelas pessoas que querem unificar o tom da pele, acrescentar luminosidade e combater o aspecto de cansaço.

Como usá-lo?

Recomendamos aplicar 4 gotas no rosto, espalhar com os dedos e massagear suavemente. Pode ser utilizado tanto pela manhã como à noite, não tem enxágue, deve ser aplicado após o esfoliante, antes do hidratante e pode ser usado até duas vezes por dia, sempre que for bem tolerado pela pele.

Esperamos que toda essa informação tenha sido útil! Se tiver dúvidas, entre em contato!

The Chemist Look Team

 

  1. Zoe Kececioglu Draelos, and Lauren A Thaman. Cosmetic Formulation of Skin Care Products. New York, Informa Healthcare, 2010.
  2. Axelsson J, Sundelin T, Ingre M, Van Someren EJ, Olsson A, Lekander M. Beauty sleep: experimental study on the perceived health and attractiveness of sleep deprived people. 2010;341:c6614.
  3. Oyetakin-White P, Suggs A, Koo B, Matsui MS, Yarosh D, Cooper KD, Baron ED. Does poor sleep quality affect skin ageing? Clin. Exp. Dermatol. 2015;40(1):17-22.
  4. Leveque, Nathalie, et al. “Iron and Ascorbic Acid Concentrations in Human Dermis with Regard to Age and Body Sites.” Gerontology, vol. 49, no. 2, 2003, pp. 117–122, 10.1159/000067951.
  5. Valdés, Fernando. “Vitamina C.” Actas Dermosifiliogr. 2006;97(9):557-68, 13 Sept. 2006.
  6. Ahmad, Iqbal, et al. “Photochemical Interaction of Ascorbic Acid and Nicotinamide in Aqueous Solution: A Kinetic Study.” Journal of Photochemistry and Photobiology B: Biology, vol. 182, May 2018, pp. 115–121.
  7. GUTTMAN, DAVID, and DANA BROOKE. Solution Phase Interaction of Nicotinamide with Ascorbic Acid. 18 Feb. 1963.
  8. Nemet, Ina, and Vincent M. Monnier. “Vitamin c Degradation Products and Pathways in the Human Lens.” Journal of Biological Chemistry, vol. 286, no. 43, 31 Aug. 2011, pp. 37128–37136.
  9. Bassi, Andrea, and Carlo Mazzatenta. ““Epidemic” Exogenous Skin Pigmentation Caused by the Use of Baby Wipes: When the Guilty Is Ascorbic Acid.” International Journal of Dermatology, vol. 59, no. 12, 11 Aug. 2020.
  10. Guglielmo, A., et al. “Colouring” Wipes Phenomenon: A Peculiar Skin Pigmentation Induced by Ascorbic Acid Observed during Lockdown.” Clinical and Experimental Dermatology, vol. 46, no. 6, 15 June 2021, pp. 1075–1078.
  11. Jutkus, Rebecca A. L., et al. “Effect of Temperature and Initial Moisture Content on the Chemical Stability and Color Change of Various Forms of Vitamin C.” International Journal of Food Properties, vol. 18, no. 4, 21 Jan. 2015.
  12. SHERAZ, MUHAMMAD ALI. “Stability and Stabilization of Ascorbic Acid.” Y - Household and Personal Care Today Vol. 10(3), June 2015.
  13. Stamford, Nicholas P J. “Stability, Transdermal Penetration, and Cutaneous Effects of Ascorbic Acid and Its Derivatives.” Journal of Cosmetic Dermatology, vol. 11, no. 4, 23 Nov. 2012, pp. 310–317, 10.1111/jocd.12006.
  14. Carpenter, Kenneth J. “The Discovery of Vitamin C.” Annals of Nutrition & Metabolism, vol. 61, no. 3, 2012, pp. 259–64.
  15. Pinnell, Sheldon R., et al. “Topical L-Ascorbic Acid: Percutaneous Absorption Studies.” Dermatologic Surgery, vol. 27, no. 2, Feb. 2001, pp. 137–142, 10.1046/j.1524-4725.2001.00264.x.
  16. Zoe Kececioglu Draelos, and Lauren A Thaman. Cosmetic Formulation of Skin Care Products. New York, Informa Healthcare, 2010.
Ingredientes

Deixe um comentário

Todos os comentários são moderados antes de serem publicados.